FERNANDO PRESTES 2001-2018
Saúde de FP orienta sobre Febre Amarela; Dengue é mais preocupante

Publicado em 18/01/2018 às 18h30

A secretária municipal  da Saúde em reunião na UBS de Fernando Prestes

Diante do alarde provocado pela divulgação de que o estado de São Paulo está na zona de risco de contaminação por Febre Amarela pela Organização Mundial da Saúde – OMS a reportagem deste jornal procurou pela Secretaria Municipal da Saúde de Fernando Prestes em busca de informações úteis à população.

 

Segundo Simone Pinheiro de Almeida Machado, titular da pasta da Saúde de Fernando Prestes, a maioria da população do município já está imunizada. Isto porque, a vacinação da febre amarela consta no calendário permanente de imunizações que as pessoas recebem desde o nascimento.

 

No entanto pode ocorrer de algumas pessoas não estarem com a vacinação em dia devido a migrações ou até mesmo esquecimento da imunização quando criança. “Para isso basta verificar a caderneta de vacinação” lembrou Simone.

 

A secretária orienta, que apesar do município de Fernando Prestes não ter nenhuma notificação de Febre Amarela, as pessoas que não possuem caderneta de vacinação podem obter informações na Unidade Básica de Saúde “Bento Franzoni” nos dias úteis a partir das 7h as 11h e 13h as 17h, ocasião, se necessário, poderão ser vacinadas.

 

Dengue preocupa mais que a Febre Amarela

 

Tanto a secretária da Saúde de Fernando Prestes como funcionários ligados a Vigilância Epdemiológica afirmam categoricamente que a Dengue preocupa mais que a Febre Amarela.

 

Lucimara Prates da equipe de vigilância lamenta que os funcionários vêm encontrando focos de criadouros do Aedes Aegypti com bastante frequência, e o que mais preocupa reincidentemente em muitos imóveis. Além da Dengue, o mosquito Aedes transmite Zika Virus e Chikungunya.

 

A funcionária lembra o surto de Dengue com muitas mortes que ocorreram em Catanduva-SP no verão 2016/2017. “A Dengue mata e até o momento não existe a vacina como a Febre Amarela” fala preocupada Lucimara.

 

A secretaria orienta os moradores a receberem bem os agentes de saúde que realizam as inspeções. “Criadouro de mosquito  além de ser uma questão de saúde pública, também ilustra a higiene e asseio dos moradores” finalizou Simone.

 

O município de Fernando Prestes conta com sete agentes que inspecionam 2.860 imóveis nos dois centros urbanos (Fernando Prestes e Agulha) e, portanto, a participação e envolvimento, na erradicação de criadouros de mosquito, da população são fundamentais para evitar a Dengue.

 

 

Algumas perguntas e respostas relacionadas à Febre Amarela

 

Quais são os sintomas da doença?

- febre de início súbito

· calafrios

· dor de cabeça

· dores nas costas

· dores no corpo em geral

· náuseas, vômitos

· fadiga

· fraqueza

· icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos)

· sangramentos

 

 

Qual é a diferença entre a Febre Amarela Silvestre e Febre Amarela Urbana?

A diferença entre elas é o vetor. Na cidade a doença é transmitida pelo Aedes aegypti, o mesmo mosquito que transmite a dengue e na mata, os mosquitos são dos gêneros Haemagogus e Sabethes.

 

Como a Febre Amarela Silvestre é transmitida?

A febre amarela silvestre é transmitida através da picada de mosquitos Haemagogus e Sabethes, que vivem em matas e vegetações à beira dos rios. Quando o mosquito pica um macaco doente, torna-se capaz de transmitir o vírus a outros macacos e ao homem.

 

O vírus é transmitido por macacos?

Não. O vírus é transmitido pela picada de mosquitos Haemagogus e Sabethes, que vivem em matas e vegetações. O inseto infecta tanto humanos quanto os macacos.

 

Como se prevenir da Febre Amarela Silvestre

A vacinação é a principal medida de prevenção.

 

Quem deve se vacinar?

A vacina é recomendada para moradores ou pessoas que se deslocam para área com circulação do vírus no Brasil e aos viajantes para os países com risco de transmissão de Febre Amarela.

 

Quantas doses da vacina de FA é preciso tomar?

Em Fernando Prestes a vacina fornecida até o momento foram as doses totais.

 

Onde posso tomar a vacina?

Nas Unidades Básicas de Saúde e nos ambulatórios dos viajantes dos CRIE em centros urbanos maiores.

 

Quem não pode tomar a vacina e/ou que tem restrições que precisam ser avaliadas?

· Crianças menores de 9 meses

· Gestantes

· Mulheres amamentando crianças menores de 6 meses*

· Pessoas com câncer em uso de quimioterapia e/ou radioterapia

· Transplantados de órgãos sólidos e/ou medula óssea

· Uso de corticóide com dose imunossupressora

· HIV e qualquer doença imunossupressora

· medicamentos imunossupressores

· Miastenia Gravis

· Doenças do Timo

· Lúpus

· Doença de Addison

· Artrite reumatóide

· Alergia grave ao ovo e derivados da galinha,

 

*Mulheres que estão amamentando bebês com até 6 meses de idade e que residem ou circulam em área de recomendação da vacina contra a febre amarela, se houver a indicação da vacinação da mãe, o aleitamento deve ser interrompido por 10 dias. Essas mulheres devem procurar um serviço de saúde para orientação e acompanhamento a fim de manter a produção do leite materno. A mãe pode fazer a ordenha do leite, antes da aplicar a vacina, mantendo congelado por 28 dias em freezer ou congelador.

 

Posso apresentar reação após a aplicação da vacina?

Sim. A reação mais frequente é a dor no local de aplicação, que tem intensidade leve e moderada e pode durar 1 ou 2 dias. Outras manifestações, que são consideradas sem gravidade, são febre com duração de até 7 dias, dor de cabeça e dor no corpo. Essa é uma vacina das mais seguras e eficazes, entretanto, raramente reações graves tem sido notificadas.

 

Após a infecção pelo vírus, quanto tempo leva para a doença ficar aparente (iniciar os sintomas)?

Em média de três a seis dias após a picada do mosquito transmissor infectado, mas pode levar até 15 dias para o surgimento dos primeiros sintomas.

 

O que devo fazer se apresentar os sintomas?

Procurar um médico na unidade de saúde mais próxima e informar sobre qualquer viagem ou deslocamento para área de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas.

 

Como é o tratamento para febre amarela?

Paciente deve procurar atendimento médico imediato. O tratamento é sintomático, com repouso e com hidratação. Nas formas graves, o paciente pode necessitar de Unidade de Terapia Intensiva. Salicilatos devem ser evitados (ex. AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de hemorragias.

 

Que época do ano a doença é mais comumente registrada?

Estudos têm demonstrado que a doença ocorre com maior freqüência nos meses de dezembro a maio. Esta é a estação das chuvas, quando há um aumento das populações de mosquitos, favorecendo a circulação do vírus.

 

Qualquer pessoa está em risco de contrair febre amarela silvestre?

Sim. Qualquer pessoa não vacinada, independentemente da idade ou sexo, que reside ou viaja para áreas de risco.

 

A febre amarela silvestre é contagiosa?

A doença não é contagiosa, ou seja, não há transmissão de pessoa a pessoa e nem entre animais e pessoas. É transmitida somente pela picada de mosquitos infectados com o vírus da febre amarela.

 

ATENÇÃO! Outros Cuidados: Uso de Repelentes e Mosqueteiros

Para pessoas não vacinadas contra a Febre Amarela ou que se vacinaram há menos de 10 dias, se precisarem visitar e circular nas áreas situadas no entorno (500 metros) dos Parques Anhanguera, Horto Florestal e Cantareira, recomenda-se o uso de repelentes, seguindo as instruções do fabricante, conforme o rótulo do produto.

O uso de repelentes também é indicado para os residentes dessas áreas que foram vacinados há menos de 10 dias, pois a vacina confere imunidade após esse período, bem como para pessoas que têm contra-indicação para uso da vacina.

No caso de crianças pequenas, cobrir berços e carrinhos com mosqueteiro.

Texto: Colaboração Divisão de Vigilância Epidemiológica/ DVE/COVISA

Dengue 1.jpg
Dengue 3.jpg